De novo…!

Após uma breve pausa o Jornal da Família continua a sua missão. Os desafios são inúmeros, agora que as habituais rotinas tomaram o seu ritmo – trabalho, casa, filhos, educação, escola, compromissos familiares, sociais, religiosos e apostólicos, tempos de formação e lazer, etc. O novo ano letivo arrancou sob o auspício de boas notícias. Foram lançadas novas orientações para o pré-escolar que, para além de outras medidas, dizem não à classificação das crianças nos jardins de infância: “Nem classificação da aprendizagem da criança, nem “juízo de valor sobre a sua maneira se ser”. Também comungo da opinião de que a escola ‘faz mal às crianças’ quando as ‘sufoca’ desde cedo com excessivas ocupações e as submete a aprendizagens inadequadas à sua idade, queimando etapas e comprometendo o seu interesse e motivação para uma aprendizagem mais salutar, em fases sucessivas. Nestas idades tão tenras, o dormir, o brincar, a atenção e a relação afetiva e familiar, o conversar, o descobrir, o experimentar, o saltar, o jogar, o sujar-se, o transpirar com abundância, o fazer barulho, o chocarem-se umas com as outras, são atividades muito saudáveis e necessárias para um desenvolvimento harmonioso e equilibrado. Privar as crianças de tudo isto, ou viciá-las no uso do digital, só para não importunarem, é retirar-lhes algo que é vital no seu crescimento e na estruturação da sua personalidade. Este ano arranca também a “flexibilização curricular”, em formato projeto/piloto, integrando um conjunto de escolas que se voluntariam para este efeito. As escolas têm oportunidade de gerir 25% da carga horária semanal. Esta medida transfere para as escolas mais autonomia e responsabilidade, por isso é bem-vinda. Destaca-se ainda neste novo ano, a atribuição de ‘manuais gratuitos’ a todo o 1º ciclo, uma medida que se prevê de grande ajuda para muitas famílias.

Vieira Maria

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>

Santa Zita, um exemplo de ontem e de hoje, servir e trabalhar na caridade

A história de vida de Santa Zita está intimamente ligada a Lucca, em Itália. Por isso, o Dia de Santa Zita, que se assinala a 27 de abril, ganha aqui mais significado. Que o diga Cristiano Cirillo que neste dia visitou Lucca e a Basílica de San Frediano onde repousam os restos mortais da Santa que deu nome a uma das obras fundadas pelo Padre Alves Brás.

Ler Mais >>

Caneta ou teclado

A crescente digitalização chegou também à escrita e o teclado e o ecrã tomaram o lugar da caneta e do papel. Mas a escrita manual, sobretudo nos primeiros anos de escolaridade, tem um papel primordial no processo de aprendizagem da criança. A professora Goretti Valente explica porquê.

Ler Mais >>

Desafios da adoção

A adoção é sempre um desafio, mas o desafio torna-se ainda maior na adoção de crianças mais velhas, o que leva os pais adotantes a preferir crianças ainda bebés. Furtado Fernandes relata um caso de adoção de dois irmãos, com mais de 6 anos, que contraria a ideia que a adoção de crianças mais velhas é mais problemática.

Ler Mais >>