Nova biografia do Padre Alves Brás foi apresentada na Basílica da Estrela em Lisboa

“Homem de Deus para a Humanidade – Padre Joaquim Alves Brás” é a mais recente biografia do fundador da Família Blasiana. Foi apresentada ontem (10 dezembro) na Basílica da Estrela em Lisboa. Por entre muitos convidados, a apresentação pública da obra contou com a presença do autor, Arnaldo Pinto Cardoso, Zita Seabra – diretora editorial da Alêtheia Editores, D. Rino Passigato – Núncio Apostólico,  Padre António Marim – pároco da Basílica da Estrela e Alice Cardoso – Coordenadora Geral do Instituto Secular das Cooperadoras da Família.

Para Arnaldo Pinto Cardoso, que é  também o Postulador da Causa de Beatificação e Canonização do Venerável Padre Joaquim Alves Brás, a citação de “fontes arquivísticas” e o aprofundamento da vertente de “formador sacerdotal” são dois dos novos aspetos a destacar nesta obra face a outras biografias já existentes.  Embora muitos conheçam a vertente de apostolado  do Padre Alves Brás junto das empregadas domésticas, a sua vertente de formador sacerdotal nos Seminários do Fundão e da Guarda, ao longo de 17 anos, é menos conhecida.

Segundo o autor, a obra trata numa primeira parte “a vida, o homem e a doutrina”, numa segunda parte dedica-se às Obras fundadas: “um perfil mais conhecido do padre Brás”, afirma Monsenhor Arnaldo Cardoso, e a terceira parte “é uma revelação teológico-pastoral sobre aquilo que ele fez e ensinou”.

Esta obra, que resultou de um trabalho realizado por Arnaldo Pinto Cardoso ao longo de um ano, contou com os contributos das Cooperadoras Maria de Fátima Castanheira Baptista, Maria da Conceição Rodrigues Brites e Maria José Barreiros de Carvalho. Para Maria de Fátima, Vice-Postuladora da Causa de Beatificação e Canonização de Monsenhor Alves Brás, a investigação que ajudou a fazer para esta obra e que lhe deu acesso a “documentos, atas e livros” no Seminário do Fundão e da Guarda, permitiu-lhe conhecer um homem “com uma estatura sacerdotal fantástica”. Não apenas o fundador das Obras e do Instituto Secular das Cooperadoras da Família  mas “passou a ser um homem  formador de padres”.

Zita Seabra, editora do livro, que acompanhou todo o seu processo de realização, destacou a figura de um  homem que “fundou uma obra fundamental para a condição feminina e para as mulheres de Portugal”. Numa época em que as mulheres não tinham os mesmos direitos que os homens, o Padre Brás “fez uma Obra notável de promoção e prestigio para muitas raparigas que encontraram na Obra de Santa Zita o futuro que nunca teriam de outra maneira”, afirmou Zita Seabra. A diretora editorial da Alêtheia acredita que esta obra “vai contribuir para mostrar como era o Portugal daquela época e como foi possível a um padre vindo do interior do país deixar um trabalho desta importância”.

Para Alice Cardoso, Coordenadora Geral do Instituto Secular das Cooperadoras da Família (ISCF), esta era uma obra há algum tempo pensada pelo Instituto, tendo em conta, a evolução do Processo de Beatificação. “É uma fonte de conhecimento para todos os membros do Instituto, para um maior aprofundamento da Vida e da Obra deste sacerdote que é o nosso Fundador, mas também é um meio para divulgar esta figura carismática quer a nível da Igreja quer  a nível da sociedade”. Alice Cardoso destaca, sobretudo, a última parte do livro  que aborda “o sonho de bem-fazer” que depois veio a concretizar nas diversas Obras fundadas.

A cerimónia de apresentação do livro “Homem de Deus para  a Humanidade – Padre Joaquim Alves Brás ” foi antecedida por uma eucaristia de ação de graças, e contou com momentos musicais interpretados pelo Coro da Escola de Música Sacra de Lisboa.

Padre Alves Brás (1899-1966) é o fundador da Obra de Santa Zita, Instituto Secular das Cooperadoras da Família, Movimento por um Lar Cristão e Centros de Cooperação Familiar. Através das Cooperadoras da Família o carisma do padre Brás está também presente em Espanha, Brasil, e Angola.

Desde 1992 que decorre em Roma, junto da Congregação para a Causa dos Santos, o Processo de Beatificação e Canonização de Monsenhor Alves Brás.

Em 2008 Monsenhor Alves Brás foi declarado Venerável pelo Papa Bento XVI.

Ver galeria de imagens

Texto: IM/Jornal da Família

10.12.2017

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Silêncio, por favor!

Os “ruídos de um mundo anónimo” são o tema de reflexão de Ana Medina sobre a quantidade de informação que nos chega sem que a “tenhamos pedido”.

Ler Mais >>

Um novo ano político muito importante

Em 2024, mais de 60 países vão a votos, entre os quais Portugal. Murillo Missaci reflete sobre a necessidade de envolvimento dos jovens na política “de uma forma ativa, informada, crítica e responsável, tendo como referência a sua fé, a sua identidade e sua missão como cristãos”.

Ler Mais >>

Veneza, uma história entre ocidente e oriente

O pretexto para esta viagem foi o Carnaval, mas o encanto não se ficou pelas máscaras de Veneza. A icónica praça e Basílica de São Marcos captaram a atenção de Cristiano Cirillo que nos leva numa viagem pela história deste templo.

Ler Mais >>

Promover a leitura compete a todos nós

Saber ler não significa apenas juntar letras de forma a articular palavras. Ler implica, também, “interpretar” e “compreender”. O último relatório Pisa diz-nos que nestas questões Portugal baixou o seu nível. O mote para a reflexão da professora Goretti Valente.

Ler Mais >>