Festa de Natal no Botãozinho

A 20 de dezembro de 2017, em Carcavelos, no Centro de Cooperação Familiar, Jardim de Infância “o Botãozinho”, celebrámos a festa de Natal.

A apresentação do livro «Homem de Deus para a Humanidade – Padre Joaquim Alves Brás”, a Construção do Presépio em Palco e o Concerto de Natal, constituíram os três momentos da festa que envolveu toda a comunidade educativa, crianças e suas famílias, colaboradores e amigos.

Após a palavra de boas-vindas da Diretora, Maria dos Prazeres Rodrigues, os finalistas do pré-escolar cantaram duas canções em homenagem ao Padre Brás: “Há muito anos em terras frias nasceu o Menino Joaquim” e “O Sonho do Padre Brás”, dando o tom para a apresentação do livro pelo próprio autor, Monsenhor Arnaldo Pinto Cardoso, Postulador da Causa de Canonização do Venerável Padre Joaquim Alves Brás.

Monsenhor Cardoso disse que o livro que agora apresentava tem muito a ver com o Centro de Cooperação Familiar em Carcavelos, pois foi aqui que a equipa se reuniu para trabalhar, foi aqui que o livro nasceu. O Centro de Cooperação Familiar, disse, é a concretização de um projeto importante do Fundador – a ajuda à Família. Todo o trabalho que o Padre Brás desenvolveu, de uma forma ou de outra, foi orientado para a família: Família aberta à vida, a Deus, à Igreja; A Família, célula da igreja e da sociedade. Disse ainda que na ótica do Padre Brás as Diretoras deviam ser mãe, mestras e educadoras. Por isso era preciso investir muito na formação, como tão bem cantou o coro das crianças, era preciso “muito trabalho, muita oração, fortes na união”. Poucos anos antes da sua morte, Ele andou por aqui pela linha, à procura de lugar para uma casa, que servisse de casa de repouso, de férias, e de encontros, para as Cooperadoras da Família. Ele já tinha intuído que as pessoas que trabalham têm necessidade de tempos e espaços para descansar. O projeto acabou por se concretizar aqui em Carcavelos.

Disse também que os trabalhos da edição deste livro estão ligados à Postulação da Causa da sua Beatificação, mas surgem também da necessidade de uma nova biografia, que coincide com os 100 anos da entrada do Joaquim no Seminário do Fundão. As circunstâncias dessa entrada no Seminário, em 1917, têm a ver com um período difícil: o republicanismo anticlerical e a 1ª Guerra Mundial.

O livro é organizado em três partes: A 1ªparte refere-se à vida e à doutrina assumida e pregada pelo Servo de Deus; a 2ª, tem a ver com as obras que fundou: Obra de Santa Zita; ISCF; CCF e MLC; a 3ª Fala do “sonho” da sua vida – o sonho de bem-fazer. Estas partes, porém, são complementares e, revelam-nos o fio condutor da sua vida, traçando-nos, assim, o perfil deste Homem de Deus para a Humanidade, ao serviço dos quais se dedicou até à morte, que ocorreu por acidente, a 13 de março de 1966.

Concluída a apresentação do livro, as Cooperadoras da Família cantaram o hino do “Botãozinho”: A família é um jardim, cada criança um botão, os pais são firmes esteios, vasos de vida e de amor, família escola de eleição”.

Seguiu-se a construção do presépio em palco executada pelos pequeninos artistas da Creche encenando a História “Chegou a vez do Presépio”. Em palco encontrava-se Nossa Senhora, São José e o Menino Jesus dentro da gruta. Cada grupo entrou em palco ao som de uma música completando o Presépio: as Estrelas “Sentinelas do Natal” – sala dos Nenúfares, os Reis “Gaspar, Baltazar e Belchior” – sala das Papoilas, os Anjos “Acordem Pastores” – Sala das Dálias, os pastores e ovelhas “Vamos a Belém” – sala das Margaridas, o burro e a vaca “Que honra Meu Deus” – sala dos Amores-perfeitos e os presentes “Amor, Paz, Alegria…”, os trenós com as crianças do berçário – salas Lírios, Frésias e Miosótis “Noite de Amor”. No final todas as intervenientes bateram palmas e dançaram ao som da canção: “Vamos todos ao Presépio, Nesta noite de amor, Conhecer este Menino, Levar-lhe o nosso calor.

As crianças do Pré-Escolar tocaram alguns instrumentos musicais e interpretaram algumas canções natalícias como: “Broas de Mel” – sala dos Girassóis e das Orquídeas; “Um Anjo disse à Maria” – sala dos Jasmins e das Tulipas; “Presépio” – sala dos Malmequeres e das Violetas.

O grupo dos 4 e 5 anos interpretou a canção “Twinkle twinkle litle star” (Brilha, Brilha, lá no Céu) e para concluir o concerto, todas as crianças do Pré-Escolar cantaram a canção “Natal na Escola”.

Depois da palavra de agradecimento pela Diretora, a todos os presentes, e a quantos contribuíram para esta festa, seguiu-se a sessão de autógrafos e foi servido um Carcavelos d’Honra. Foi uma festa linda! Todos os adultos estavam verdadeiramente encantados com desempenho dos “nossos Botõezinhos”, verdadeiros artistas!…

Texto: Natália Silva

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>

Santa Zita, um exemplo de ontem e de hoje, servir e trabalhar na caridade

A história de vida de Santa Zita está intimamente ligada a Lucca, em Itália. Por isso, o Dia de Santa Zita, que se assinala a 27 de abril, ganha aqui mais significado. Que o diga Cristiano Cirillo que neste dia visitou Lucca e a Basílica de San Frediano onde repousam os restos mortais da Santa que deu nome a uma das obras fundadas pelo Padre Alves Brás.

Ler Mais >>

Caneta ou teclado

A crescente digitalização chegou também à escrita e o teclado e o ecrã tomaram o lugar da caneta e do papel. Mas a escrita manual, sobretudo nos primeiros anos de escolaridade, tem um papel primordial no processo de aprendizagem da criança. A professora Goretti Valente explica porquê.

Ler Mais >>

Desafios da adoção

A adoção é sempre um desafio, mas o desafio torna-se ainda maior na adoção de crianças mais velhas, o que leva os pais adotantes a preferir crianças ainda bebés. Furtado Fernandes relata um caso de adoção de dois irmãos, com mais de 6 anos, que contraria a ideia que a adoção de crianças mais velhas é mais problemática.

Ler Mais >>