Biografia de Monsenhor Alves Brás vai ser apresentada em Roma

A obra “Homem de Deus para a Humanidade – Padre Joaquim Alves Brás (1899-1966)” vai ser apresentada no próximo dia 11 de janeiro no Instituto Português de Santo António, em Roma, (Itália).  A apresentação conta com a presença do autor, Arnaldo Pinto Cardoso – Postulador da Causa de Canonização de Monsenhor Alves Brás e com Maria de Fátima Castanheira, Vice-postuladora e uma das Cooperadoras da Família que participou na investigação para esta obra.

O livro insere-se na evolução do Processo de Beatificação de Monsenhor Alves Brás que decorre na Congregação para as Causas dos Santos, em Roma, desde 1992.

Joaquim Alves Brás nasceu a 20 de março de 1899, em Casegas, concelho da Covilhã e entrou no seminário do Fundão,  Diocese da Guarda, a 19 de novembro de 1917. Foi ordenado sacerdote em 19 de julho de 1925 por D. José Alves Matoso, Bispo da Guarda, e no dia seguinte celebrou a sua primeira missa, na capela do Seminário do Fundão. Joaquim Alves Brás realizava, assim, o grande sonho da sua vida: “ser Padre, ao menos por um ano”.

Foi confessor ordinário do Seminário do Fundão e Diretor Espiritual do Seminário da Guarda.

A partir de 1931 funda várias obras de apoio à família que perduram até aos dias de hoje. Em 1931/32, fundou a Obra de Santa Zita – uma associação que visava acolher, promover e formar humana, espiritual, profissional e socialmente, jovens do sexo feminino que se dedicavam ao serviço da família. Esta Associação é, hoje, uma Instituição Particular de Solidariedade Social, de âmbito ainda mais alargado no apoio à família.

Em 1933 fundou o Instituto Secular das Cooperadoras da Família – um Instituto de vida consagrada, cujo carisma e missão é o cuidado da santificação da família e dos sacerdotes, e cuja espiritualidade se inspira nos exemplos da Sagrada Família de Nazaré.

Em 1960, fundou os Centros de Cooperação Familiar urbanos e rurais, como meios para atingir os fins do Instituto Secular das Cooperadoras da Família.

Nesse mesmo ano, fundou o “Jornal da Família”, para difundir os fundamentais valores da família, para ajudar as famílias a consciencializar a verdade do que são, e para alertar para a importância do papel que desempenham na Igreja e no mundo, enquanto comunidades de vida e de amor.

Em 1962, fundou o Movimento por um Lar Cristão que concorre, de modos diferentes, para o mesmo fim: cooperar com a família, enquanto célula fundamental da Igreja e da sociedade, na realização da sua vocação e missão.

O Padre Joaquim Alves Brás faleceu em 1966 vítima de acidente de viação.  Em 1990 foi introduzido o Processo de Beatificação no Patriarcado de Lisboa e em 1992 o Processo dá entrada em Roma.

Em 15 de março de 2008, em plena celebração do 75º aniversário da fundação do Instituto Secular das Cooperadoras da Família, o Papa Bento XVI, mandou publicar o Decreto de reconhecimento da heroicidade das virtudes do Servo de Deus, Joaquim Alves Brás.

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>

Santa Zita, um exemplo de ontem e de hoje, servir e trabalhar na caridade

A história de vida de Santa Zita está intimamente ligada a Lucca, em Itália. Por isso, o Dia de Santa Zita, que se assinala a 27 de abril, ganha aqui mais significado. Que o diga Cristiano Cirillo que neste dia visitou Lucca e a Basílica de San Frediano onde repousam os restos mortais da Santa que deu nome a uma das obras fundadas pelo Padre Alves Brás.

Ler Mais >>

Caneta ou teclado

A crescente digitalização chegou também à escrita e o teclado e o ecrã tomaram o lugar da caneta e do papel. Mas a escrita manual, sobretudo nos primeiros anos de escolaridade, tem um papel primordial no processo de aprendizagem da criança. A professora Goretti Valente explica porquê.

Ler Mais >>

Desafios da adoção

A adoção é sempre um desafio, mas o desafio torna-se ainda maior na adoção de crianças mais velhas, o que leva os pais adotantes a preferir crianças ainda bebés. Furtado Fernandes relata um caso de adoção de dois irmãos, com mais de 6 anos, que contraria a ideia que a adoção de crianças mais velhas é mais problemática.

Ler Mais >>