Comissão Episcopal do Laicado e Família convida a viver namoro sem «queimar etapas»

A Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF), da Igreja Católica em Portugal, divulgou uma mensagem por ocasião do próximo Dia dos Namorados, que se assinala a 14 de fevereiro.

O texto convida os jovens a viver o namoro como “descoberta, acolhimento e resposta ao chamamento de Deus” ao amor e à vida em plenitude no Matrimónio cristão.

“A Igreja olha com simpatia e esperança todos os jovens namorados que percorrem este caminho com coragem e oferece-lhes todo o seu apoio para o discernimento e realização da sua vocação ao amor e à constituição de uma família, segundo o pensamento de Deus para cada um”, afirma a CELF num documento enviado à Agência ECCLESIA.

O organismo da Igreja Católica assinala que o namoro é um caminho que “brotou de uma atração” e que deve levar à descoberta do outro “sem pressas e precipitações”, para permitir um conhecimento recíproco, em vista à construção de um projeto de vida comum.

“Viver bem o namoro requer tempo, delicadeza, seriedade, que gere confiança, estima recíproca e respeito pela liberdade, que permita a cada um revelar-se tal como é, e de discernirem juntos o projeto de Deus à luz da fé, sem queimar etapas”, desenvolve a Comissão Episcopal do Laicado e Família.

A Igreja Católica em Portugal pede aos jovens que aprendam a “amar sem possuir e sem dominar”, apoiados na Palavra de Deus, na oração e na vida em comunidade, “crescendo no amor e na descoberta da alegria e da beleza da família que o Senhor chama a constituir”.

“Vivei alegres e puros na entrega do amor! Descobri a sua beleza à luz do amor de Deus manifestado em Jesus. Amai como Ele amou e ama”, desenvolve a CELF.

A mensagem assegura aos jovens que são acompanhados e que a Igreja conta com eles para a constituição de famílias “fortes na fé, fiéis, alegres, felizes e fecundas”, como Deus “as sonhou e as quer constituir convosco”, sendo o namoro “um caminho percorrido a três”.

A Comissão Episcopal do Laicado e Família contextualiza ainda que, “felizmente”, o ‘Dia dos Namorados’ está sob a invocação de São Valentim, um santo italiano do século III, que teria apoiado os jovens na vocação ao Matrimónio contra a ordem do imperador que os impedia de casar para servirem o exército romano.

A celebração deste ano coincide com o início da Quaresma, Quarta-feira de Cinzas.

Fonte: Agência Ecclesia

08.02.2018

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

A sabedoria que parte do coração humano

“Neste tempo que corre o risco de ser rico em técnica e pobre em humanidade, a nossa reflexão só pode partir do coração humano”. É com este pressuposto que Francisco alerta para as potencialidades e perigos da comunicação num mundo cada vez mais complexo da inteligência artificial.

Ler Mais >>

Construímo-nos na relação

Contruímo-nos na relação e a construção da identidade tem uma dimensão relacional e uma dimensão singular. Como cristãos somos chamados a viver a dimensão de Igreja mas também de cidadania e a esperança cristã deve ser testemunhada na vida de cada um mas também na relação com os outros. Ideias saídas do II Fórum Família.

Ler Mais >>

Vinde Espírito Santo!

No contexto do Mistério Pascal, Furtado Fernandes evoca a vinda do Espírito Santo para renovar mentalidades e comportamentos, num mundo dilacerado pelos horrores da guerra.

Ler Mais >>