Juventude Blasiana vai estar focada na missão

“Focados na Missão” é o mote que vai imprimir dinamismo e sentido à caminhada do ano pastoral 2018-2019

A Pastoral JuVocacional do Instituto Secular das Cooperadoras da Família apresentou as linhas gerais que vão pautar o novo ano pastoral da Juventude Blasiana – movimento juvenil Focos de Esperança.

“Focados na Missão” é o mote que vai imprimir dinamismo e sentido à caminhada do ano pastoral 2018-2019. “Nele se vão inspirar as vivências, as reflexões, as experiências missionárias, pessoais e de grupo, assim como todas as iniciativas realizadas pelos jovens Focos de Esperança, a nível local e nacional”, lê-se no texto de apresentação do Plano 2018-2019. Um tema que para as responsáveis da pastoral JuVocacional “não só canaliza as energias, como possibilita o lançar de pontes para outras opções, fazendo-as confluir no mesmo desafio: A missão”.

A partir deste tema os jovens Focos de Esperança “são desafiados a clarificar e fortalecer a sua identidade, para poderem testemunhar e levar a Esperança aos diferentes contextos onde vivem”. Contextos que passam pela casa/família, pela escola, pelo grupo de amigos, pelo trabalho, etc.

O mote escolhido está em sintonia com o Ano Missionário proclamado pela Nota Pastoral dos bispos portugueses “Todos, Tudo e Sempre em Missão”, que decorrerá de outubro de 2018 a outubro de 2019. 

Este desafio missionário lança também a ponte para a figura de Maria, também ela viveu focada na missão que o Pai lhe confiou, e para a Jornada Mundial da Juventude a realizar em 2019 no Panamá. O Papa Francisco escolheu a figura de Maria para dinamizar e iluminar a preparação desta jornada, apresentando-a como modelo de fé.

O tema “Focados na Missão” está ainda em sintonia como o tema comum à Família Blasiana para este novo ano pastoral: “Ide onde ninguém vai” – Humildade e Profecia, um legado do Fundador aos seus continuadores, entre os quais se encontram os jovens Focos de Esperança.

Na Igreja, o novo ano pastoral arranca com o Sínodo dos Bispos “Os Jovens, a fé e o discernimento Vocacional”, a realizar durante o mês de outubro no Vaticano, e as suas conclusões estarão na “preocupação e missão” dos Jovens Focos de Esperança.

Um compromisso missionário neste novo ano pastoral que os Jovens Focos de Esperança querem “como expressão de uma fé incarnada, confessada e testemunhada”.

O arranque do novo ano pastoral para o movimento juvenil Focos de Esperança, decorrerá em Casegas, terra natal de monsenhor Alves Brás, fundador da Família Blasiana, de 5 a 7 de outubro.

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>

Santa Zita, um exemplo de ontem e de hoje, servir e trabalhar na caridade

A história de vida de Santa Zita está intimamente ligada a Lucca, em Itália. Por isso, o Dia de Santa Zita, que se assinala a 27 de abril, ganha aqui mais significado. Que o diga Cristiano Cirillo que neste dia visitou Lucca e a Basílica de San Frediano onde repousam os restos mortais da Santa que deu nome a uma das obras fundadas pelo Padre Alves Brás.

Ler Mais >>

Caneta ou teclado

A crescente digitalização chegou também à escrita e o teclado e o ecrã tomaram o lugar da caneta e do papel. Mas a escrita manual, sobretudo nos primeiros anos de escolaridade, tem um papel primordial no processo de aprendizagem da criança. A professora Goretti Valente explica porquê.

Ler Mais >>

Desafios da adoção

A adoção é sempre um desafio, mas o desafio torna-se ainda maior na adoção de crianças mais velhas, o que leva os pais adotantes a preferir crianças ainda bebés. Furtado Fernandes relata um caso de adoção de dois irmãos, com mais de 6 anos, que contraria a ideia que a adoção de crianças mais velhas é mais problemática.

Ler Mais >>