Jornal da Família – edição janeiro 2019

É a primeira edição de 2019. O Jornal da Família já está a chegar a casa dos assinantes.

O início do novo ano será marcado, a nível eclesial, pelas Jornadas Mundiais da Juventude que decorrem de 22 a 27 de janeiro no Panamá. Nesta edição saiba o que o Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil do Porto está a preparar para reproduzir o espírito das jornadas para os jovens portugueses que não conseguirem deslocar-se ao Panamá.

Em 2019 a família parece estar nas preocupações do executivo português. Conheça o programa “3 em linha” que tem como objetivo promover um maior equilíbrio entre a vida profissional, pessoal e familiar.

Fique também a conhecer o novo organismo do Vaticano dedicado à Família. O Observatório Internacional para a Família tem o objetivo de avaliar e salientar o impacto que a família tem na formação e no desenvolvimento da sociedade atual.      

Nesta edição o destaque vai também para um estudo sobre o estilo de vida dos adolescentes portugueses que refere que o número de jovens que não gosta da escola triplicou nos últimos 20 anos.

O ano arrancou com a tradicional mensagem papal para o Dia Mundial da Paz. Octávio Morgadinho analisa nesta edição a mensagem deste ano do Papa Francisco intitulada “A boa política está ao serviço da paz”.

Ao entrarmos em 2019 Juan Ambrosio desafia-nos a “ousarmos um novo olhar”, a aprender a olhar a realidade como Jesus a olhava. 

Nesta edição damos-lhe também conta das preocupações que o Vaticano e o Conselho Mundial das Igrejas levaram à Cimeira do Clima – COP24, que se realizou no passado mês de dezembro na Polónia.

A mudança de ano é sempre ocasião para projetarmos novas metas e novos desafios. E que tal começar pela sua saúde? Nesta edição deixamos-lhe alguns conselhos.

No novo ano o Jornal da Família continua com o bom humor do “Cantinho Recreativo”, a cargo de Fabião Baptista, e com as receitas de culinária das Cooperadoras da Família: Lucinda Teixeira e Teresa do Céu.

E já lá vão quase seis décadas de existência. O Jornal da Família faz 59 anos. A data foi assinalada pelo colaborador de longos anos Fabião Baptista no habitual artigo de opinião.

Bom Ano com votos de muitas leituras!

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>

Santa Zita, um exemplo de ontem e de hoje, servir e trabalhar na caridade

A história de vida de Santa Zita está intimamente ligada a Lucca, em Itália. Por isso, o Dia de Santa Zita, que se assinala a 27 de abril, ganha aqui mais significado. Que o diga Cristiano Cirillo que neste dia visitou Lucca e a Basílica de San Frediano onde repousam os restos mortais da Santa que deu nome a uma das obras fundadas pelo Padre Alves Brás.

Ler Mais >>

Caneta ou teclado

A crescente digitalização chegou também à escrita e o teclado e o ecrã tomaram o lugar da caneta e do papel. Mas a escrita manual, sobretudo nos primeiros anos de escolaridade, tem um papel primordial no processo de aprendizagem da criança. A professora Goretti Valente explica porquê.

Ler Mais >>

Desafios da adoção

A adoção é sempre um desafio, mas o desafio torna-se ainda maior na adoção de crianças mais velhas, o que leva os pais adotantes a preferir crianças ainda bebés. Furtado Fernandes relata um caso de adoção de dois irmãos, com mais de 6 anos, que contraria a ideia que a adoção de crianças mais velhas é mais problemática.

Ler Mais >>