A promessa e o risco do chamamento do Senhor

A 12 de maio a Igreja assinala o Dia Mundial de Oração pelas Vocações. O Papa Francisco apela a “uma pastoral juvenil e vocacional que ajude a descobrir o projeto de Deus”.

O Papa Francisco apela a “uma pastoral juvenil e vocacional que ajude a descobrir o projeto de Deus”. Na mensagem para o 56.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações, que este ano se assinala a 12 de maio (no final da Semana de Oração pela Vocações), Francisco adianta que esse trabalho dever ser feito “especialmente através da oração, meditação da Palavra de Deus, adoração eucarística e direção espiritual”. 

Reconhecendo que nem sempre é fácil discernir a própria vocação e orientação da vida, Francisco pede um “renovado esforço por parte de toda a Igreja”. Sacerdotes, religiosos, animadores pastorais, educadores, todos são chamados a proporcionarem, sobretudo aos jovens, “ocasiões de escuta e discernimento”.

Recordando os dois últimos grandes acontecimentos da Igreja dirigidos aos jovens: o sínodo dos Bispos em outubro passado e as Jornadas Mundiais da Juventude do Panamá, Francisco convida a uma reflexão sobre a promessa e o risco do chamamento de Deus. “ Desejo refletir sobre o chamamento do Senhor enquanto nos torna portadores duma promessa e, ao mesmo tempo, nos pede a coragem de arriscar com Ele e por Ele”.

O Papa afirma que o chamamento do Senhor “não é uma ingerência de Deus” na liberdade de cada um, nem é uma “«jaula» ou peso” colocado às costas. “Pelo contrário, é a iniciativa amorosa com que Deus vem ao nosso encontro e nos convida a entrar num grande projeto”. É “deixar-se envolver totalmente e correr o risco de enfrentar um desafio inédito” e ter “a audácia a que nos impele com força a descobrir o projeto que Deus tem para a nossa vida”, adianta Francisco.

No chamamento à vida consagrada ou ao sacerdote ordenado há uma descoberta que “entusiasma” mas ao mesmo tempo “assusta”, escreve o Papa. “Esta escolha inclui o risco de deixar tudo para seguir o Senhor e de consagrar-se completamente a Ele para colaborar na sua obra”.

“Resistências interiores” e “certos contextos muito secularizados” onde não existe lugar para Deus podem “desanimar”, por isso Francisco convida os jovens a não serem “surdos” perante o chamamento do Senhor. “Não vos deixeis contagiar pelo medo, que nos paralisa à vista dos altos cumes que o Senhor nos propõe”.

Francisco volta à Jornada Mundial da Juventude do Panamá para lembrar a história de Maria, cuja vocação também foi uma “promessa” e “um risco”. “A sua missão não foi fácil, mas Ela não permitiu que o medo A vencesse”, afirmou Francisco. O projeto de vida de Deus para cada um não passa apenas pelo chamamento à vida consagrada. “A vocação é um convite a não ficar parado na praia com as redes na mão, mas seguir Jesus pelo caminho que Ele pensou para nós, para a nossa felicidade e para o bem daqueles que nos rodeiam”, escreve o Papa.

O chamamento à vida cristã encontra expressão em várias vocações: no formar família, na escolha da profissão, no compromisso no campo da caridade e da solidariedade, nas responsabilidades sociais e politicas, entre outras. Para Francisco “trata-se de vocações que nos tornam portadores duma promessa de bem, amor e justiça, não só para nós mesmos, mas também para os contextos sociais e culturais onde vivemos, que precisam de cristãos corajosos e testemunhas autênticas do Reino de Deus”. 

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Papa denúncia solidão e abandono dos idosos

“Muitas vezes me sucedeu, como bispo de Buenos Aires, ir visitar lares de terceira idade, dando-me conta de como raramente recebiam visitas aquelas pessoas: algumas, há muitos meses, não viam os seus familiares”. Papa denúncia a solidão e o abandono dos mais velhos na mensagem para o IV Dia Mundial dos Avós e Idosos.

Ler Mais >>

Não te abandonarei!

No próximo dia 28 de julho assinala-se o IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos. Na mensagem para este dia, o Papa Francisco denuncia a solidão e o abandono dos mais velhos. Juan Ambrosio pega na mensagem do Papa para nos lembrar que avós e idosos “não são só o passado, são também o presente que nos pode dar a garantia de um futuro mais humano”.

Ler Mais >>

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>