Proteger o coração para ser feliz

Cerca de 60 adolescentes e jovens participaram no Encontro Nacional Focos de Esperança no fim de semana de 6 e 7 de julho no Santuário da Penha, em Guimarães, sob o lema “Foca-te no coração”.

Foi preciso um coração forte para aguentar duas horas de caminhada, sempre a subir, desde a Obra de Santa Zita, no centro da cidade de Guimarães, até ao alto do Santuário da Penha. Cerca de 60 adolescentes e jovens, oriundos de todo o país, participaram nos dias 6 e 7 de julho no Encontro Nacional Focos de Esperança, Juventude Blasiana, um movimento juvenil nascido no seio do Instituto Secular das Cooperadoras da Família (ISCF) e como tal bebe o carisma e missão do Venerável Padre Joaquim Alves Brás.

A caminhada íngreme até ao cimo do Monte da Penha foi pautada por momentos de paragem, para recuperar forças e para apreciar o verde da natureza e a beleza da paisagem que se avistava sobre a cidade de Guimarães. No cimo do monte, esperava-os o ambiente fresco e acolhedor da pequena gruta de Nossa Senhora do Carmo e o momento foi de oração. Começava o Encontro Nacional Focos de Esperança sob o lema “Foca-te no coração”.

Rodeados pelo verde do Santuário da Penha e acampados no Centro Escutista de Guimarães, adolescentes e jovens tiveram como monitoras as responsáveis pela Pastoral JuVocacional do ISCF.  

Proporcionar um tempo de formação e reflexão acerca da “importância de proteger o coração” nas suas diferentes dimensões foi o objetivo da iniciativa. “Por um lado, nós quisemos proporcionar um encontro com a natureza, por outro levar estes jovens a refletir sobre a importância de proteger o coração nas mais variadas dimensões”, explica a Cooperadora da Família Conceição Vieira. 

O caminho para a felicidade
Para ajudar nesta missão, convidaram a Associação Família e Sociedade através do programa “Protege o Teu Coração”, um programa de educação para a sexualidade baseado na formação do caráter, dirigido a crianças, adolescentes, jovens, pais e educadores.
Sónia Figueiredo e Alzira Ferrão, pertencem ao pólo de Viseu deste programa e cada uma orientou dois workshops.

Sónia Figueiredo trouxe a este encontro as várias dimensões que caracterizam o ser humano: a dimensão física, emocional, racional, social e transcendente, e a forma como depois a sexualidade se integra nestas dimensões. A sexualidade “não se pode reduzir à ciência, aos contracetivos, ao aparelho reprodutor, isso banaliza a relação”, explica Sónia Figueiredo do programa “Protege o teu Coração”.

Alzira Ferrão dirigiu-se aos jovens com o tema do “sonho”. Falou de ”valores e de qualidades”, trouxe exemplo motivadores, falou de “entusiasmo e otimismo” para alcançar objetivos. Para os adolescentes, Alzira abordou a “surpresa da fertilidade”.  Uma forma séria e educativa “sobre a sexualidade ser a possibilidade de dar vida”, explica. “Os jovens, as crianças e os adultos precisam cada vez mais de ver a sexualidade e os afetos como algo que se complementa e se constrói para conseguirmos aquilo que todos queremos, ser felizes”.

Para Conceição Vieira a formação conseguiu transmitir que “a sexualidade não é só a genitalidade mas é a pessoa toda que se reveste de afeto, de capacidade de amar” acrescentando que é importante que os jovens percebam isso “para viver a vida com mais alegria e seriedade”.

Este é um dos temas caros às Cooperadoras da Família apostadas na preparação para o matrimónio. “É fundamental que os jovens assumam compromissos na sua vida e que vivam esta consciência da vocação familiar de uma forma bonita, sem ser o ‘consumo’ do outro”, afirma Conceição Vieira.

A vocação como realização
A vocação foi o mote para outro dos momentos que marcou este Encontro Nacional Focos de Esperança. O jovem casal José Fidalgo e Fernanda Azuaje, Francisco Sá Nogueira e a Cooperadora da Família Cristina Reis deram testemunho da opção vocacional.

Por entre as histórias que os levaram ao grupo juvenil Focos de Esperança, onde se conheceram, o testemunho de José e Fernanda foi pautado pela caminhada do namoro, da preparação para o matrimónio e do casamento. No Curso de Preparação para o Matrimónio (CPM) constataram que foram os únicos que o procuraram sem que ninguém os tenha obrigado e foram os únicos que nunca tinham vivido juntos. Agora a partilhar a mesma casa desde maio de 2019 falam de “um trabalho em conjunto” e da perplexidade de algumas pessoas quando eles dizem que têm esta vivência cristã “Ah! Mas vocês até são umas pessoas divertidas, fixes, são normais”, conta José Fidalgo.

Na mesma mesa estava Francisco Sá Nogueira, 28 anos, a preparar-se para entrar no pré-seminário no mês de setembro, depois de uma caminhada de discernimento. Sempre procurou grupos juvenis para viver a fé cristã mas quando se sentia “apertado” fugia. Nos Focos ganhou a liberdade que outros lhe roubavam. “Nunca me senti apertado nos Focos” e depois de uma caminhada ao seu ritmo fez a escolha. Mas andou à procura. “Deus, de certeza,  também está à vossa procura, resta deixarem-se encontrar”, concluiu na mensagem final.

Cristina Reis completa este ano 25 anos de entrega no ISCF. Foi aos pouco que se foi identificando com o carisma do Instituto para onde entrou aos 18 anos. Hoje afirma: “Se saísse do Instituto perdia uma parte de mim”. Aos jovens presentes pediu: “Não se deixem amedrontar com o chamamento de Deus. Cada um de vós tem uma vocação. Abram-lhe o coração”.

Para Conceição Vieira é fundamental que “cada um descubra a sua vocação porque é aí que a pessoa se realiza e é feliz” e é também uma missão das Cooperadoras da Família ajudar os jovens neste discernimento vocacional. “O Sínodo dos jovens pede-nos esse acompanhamento, o ajudar a aprofundar a fé para que a vocação, seja ela qual for, assente num padrão de valores que dignifiquem cada ser humano”.

Vestir uma nova camisola
Durante este encontro foi ainda escolhida, por votação, a nova imagem gráfica das t-shirts que passarão a identificar os membros do grupo juvenil Focos de Esperança.  Foram a concurso três propostas apresentadas pelos grupos da Penha de França, Porto e Coimbra. A proposta da Penha de França foi a vencedora.

Ficou a promessa das primeiras t-shirts saírem à rua no dia 19 de outubro em Fátima, por ocasião do lançamento do Ano Pastoral da Família Blasiana, que antecede o Encerramento do Ano Missionário, com a peregrinação a Fátima a 20 de outubro.

Por entre espaços de formação, oração, convívio e música, o encontro terminou com a participação na celebração eucarística no Santuário da Penha.

A dureza das duas horas de caminhada no sábado rumo ao alto do monte foram compensadas no domingo com a surpresa de uma viagem de teleférico para apreciar a bonita paisagem que se avista quando se desce para a cidade.


                                                                                                           Artigo da edição agosto/setembro do Jornal da Família

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

“Porque não eu?”

Sonhava casar com um bom homem e ter muitos filhos. Um dia descobre que Deus tinha outro projeto para ela. A história de uma vocação em discurso direto

Ler Mais >>