Papa envia mensagem às famílias de todo o mundo

Francisco recorda vítimas da doença e da solidão, agradecendo aos «heróis de todos os dias»

O Papa enviou, através do YouTube, uma mensagem às famílias de todo o mundo, num momento “difícil” por causa da pandemia de Covid-19, recordando as vítimas da doença e da solidão.
 

“É um momento difícil para todos nós. Para muitos, dificílimo. O Papa sabe disso e, com estas palavras, quer expressar a todos a sua proximidade e o seu afeto”, refere Francisco, numa mensagem divulgada pelos canais da Santa Sé e transmitida no telejornal da RAI.
 

A mensagem fala de uma situação “insólita”, marcada por “dificuldades e de sofrimentos” para as famílias, obrigadas ao isolamento, aos que perderam familiares e amigos, quem vive só, os presos e os sem-abrigo.
 

“Nestes dias penso muitas vezes nas pessoas sós, para quem é mais difícil enfrentar estes momentos, e em especial os idosos, que me são tão queridos”.

O Papa deixa uma palavra de encorajamento aos “heróis de todos os dias e de todas as horas”, que estão na linha da frente no combate à pandemia e para garantir os serviços essenciais à sociedade.
 

“Lembro ainda os que passam por dificuldades económicas e estão preocupados com o emprego e o futuro”, assinala.
 

A mensagem convida a utilizar da “melhor forma possível” este tempo, praticando a generosidade seja através de gestos concretos, como ajudar os vizinhos, seja através de um contacto telefónica ou através das redes sociais com quem está só.
 

“Mesmo isolados, o pensamento e o espírito podem ir longe com a criatividade do amor. Isto é necessário hoje: a criatividade do amor”, sustenta.
 

Para as comunidades católicas, que vão viver uma Semana Santa diferente, à porta fechada, Francisco deixa uma mensagem de esperança: “No silêncio das nossas cidades ressoará o Evangelho da Páscoa”.
 

“Esta fé pascal nutre a nossa esperança. Gostaria de partilhá-la convosco esta noite. É a esperança de um tempo melhor, para sermos melhores, finalmente libertados do mal e desta pandemia”, aponta.
 

Francisco conclui com um pedido a todos os espectadores, pedindo “um gesto de ternura por quem sofre, pelas crianças, pelos idosos”.
Fonte: Agência Ecclesia

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

A sabedoria que parte do coração humano

“Neste tempo que corre o risco de ser rico em técnica e pobre em humanidade, a nossa reflexão só pode partir do coração humano”. É com este pressuposto que Francisco alerta para as potencialidades e perigos da comunicação num mundo cada vez mais complexo da inteligência artificial.

Ler Mais >>

Construímo-nos na relação

Contruímo-nos na relação e a construção da identidade tem uma dimensão relacional e uma dimensão singular. Como cristãos somos chamados a viver a dimensão de Igreja mas também de cidadania e a esperança cristã deve ser testemunhada na vida de cada um mas também na relação com os outros. Ideias saídas do II Fórum Família.

Ler Mais >>

Vinde Espírito Santo!

No contexto do Mistério Pascal, Furtado Fernandes evoca a vinda do Espírito Santo para renovar mentalidades e comportamentos, num mundo dilacerado pelos horrores da guerra.

Ler Mais >>