Oração pelas Vocações une jovens Focos de Esperança

Em início de Mês de Maria ficaram agendados novos encontros digitais para juntos rezarem o Terço.

A canção da fadista Mariza, “A Nossa Voz”,  deu início ao momento de oração que quis assinalar o Dia Mundial de Oração pelas Vocações (3 de maio)  no movimento juvenil Focos de Esperança. A letra lançava o mote: “Há uma saudade guardada /No fundo do peito/No olhar de todos nós/Quero dar-te aquele abraço/Rir de cansaço/Ouvir a tua voz”. 

Promovido pela Pastoral Ju/Vocacional  do Instituto Secular das Cooperadoras da Família (ISCF), a plataforma digital “zoom” acolheu 25 participantes das várias zonas do país onde os Focos marcam presença. 

Devido às restrições de afastamento físico, “aquele abraço” ficou para mais tarde, mas todos ouviram a voz de cada um numa oração conjunta  pelas vocações. Uma oração que começou com a expressão dos desejos de cada um para este momento histórico da humanidade. Ouviram-se palavras como “coragem”, “perseverança”, “fé”, “amor” ou “esperança”.  

“Encontramo-nos para romper rotinas e distâncias e fortalecer laços, mas também para rezarmos, hoje especialmente, pelas Vocações”, começou por dizer Conceição Vieira, da equipa da Pastoral Ju/Vocacional do ISCF.

Por entre música, orações e a leitura do Evangelho, as palavras do Papa Francisco para quem se prepara para abraçar uma vocação: “O Senhor sabe que uma opção fundamental de vida – como casar-se ou consagrar-se de forma especial ao seu serviço – exige coragem. Ele conhece os interrogativos, as dúvidas e as dificuldades que agitam o barco do nosso coração e, por isso, nos tranquiliza: «Não tenhas medo! Eu estou contigo». A fé na presença d’Ele que vem ao nosso encontro e nos acompanha mesmo quando o mar está revolto, liberta-nos daquela acédia que podemos definir uma «tristeza adocicada» (Carta aos Presbíteros, 4/VIII/2019), isto é, aquele desânimo interior que nos bloqueia impedindo-nos de saborear a beleza da vocação”. 

Num tempo marcada por uma pandemia, rezou-se também por todos os profissionais de saúde e restantes profissionais que estão na linha da frente no combate à Covid-19, pelos atingidos pela doença, pelos seus familiares e por todas as famílias.

No dia em que se assinalou também o Dia da Mãe, os cânticos de louvor à Virgem Maria  uniram as vozes e o encontro ficou também marcado por um momento de Consagração a Nossa Senhora.

Em início de mês de maio, Mês de Maria, e respondendo à recente Carta do Papa Francisco que convida a rezar o Terço em família, ficou a promessa  de novos encontros “zoom” para a recitação do Terço. Assim, os jovens Focos de Esperança têm novos encontros online marcados para os próximos dia 5, 10, 20, 25 e 30 de maio às 21h30.  

Em cada uma das datas, uma localidade orientará a recitação do Terço.

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>

Santa Zita, um exemplo de ontem e de hoje, servir e trabalhar na caridade

A história de vida de Santa Zita está intimamente ligada a Lucca, em Itália. Por isso, o Dia de Santa Zita, que se assinala a 27 de abril, ganha aqui mais significado. Que o diga Cristiano Cirillo que neste dia visitou Lucca e a Basílica de San Frediano onde repousam os restos mortais da Santa que deu nome a uma das obras fundadas pelo Padre Alves Brás.

Ler Mais >>

Caneta ou teclado

A crescente digitalização chegou também à escrita e o teclado e o ecrã tomaram o lugar da caneta e do papel. Mas a escrita manual, sobretudo nos primeiros anos de escolaridade, tem um papel primordial no processo de aprendizagem da criança. A professora Goretti Valente explica porquê.

Ler Mais >>

Desafios da adoção

A adoção é sempre um desafio, mas o desafio torna-se ainda maior na adoção de crianças mais velhas, o que leva os pais adotantes a preferir crianças ainda bebés. Furtado Fernandes relata um caso de adoção de dois irmãos, com mais de 6 anos, que contraria a ideia que a adoção de crianças mais velhas é mais problemática.

Ler Mais >>