Papa institui Dia Mundial dos Avós e dos Idosos

A data será assinalada anualmente no quarto domingo de julho, junto à celebração litúrgica de São Joaquim e Santa Ana, avós de Jesus.

O anúncio foi feito ontem pelo Papa (31 de janeiro). O “Dia Mundial dos Avós e dos Idosos” será assinalado anualmente no quarto domingo de julho, junto à celebração litúrgica de São Joaquim e Santa Ana que se assinala a 26 de julho.

No final da recitação do ângelus, transmitida da biblioteca do Palácio Apostólico do Vaticano, o Papa afirmava queos avós são tantas vezes “esquecidos e esquecemos esta riqueza de cuidar das raízes e transmiti-las”. 

O Papa sublinhou também a importância do encontro entre gerações ao afirmar que “é importante que os avós se encontrem com os netos e os netos com os avós, porque como diz o profeta Joel, os avós, diante dos nossos, sonharão, terão ilusão; e os jovens, encontrando força nos avós, seguirão em frente e hão de profetizar”.

Francisco partiu da celebração, a 2 de fevereiro, da festa da Apresentação de Jesus no Templo, quando dois anciãos, Simeão e Ana, “reconheceram em Jesus o Messias”.
 

“Ainda hoje, o Espírito Santo suscita nos idosos pensamentos e palavras de sabedoria, a sua voz é preciosa porque canta os louvores de Deus e cuida das raízes dos povos. Eles lembram-nos que a velhice é um dom e os avós são o elo de ligação entre as várias gerações, para transmitir aos jovens a experiência de vida e de fé”, apontou.

A instituição do “Dia Mundial dos Avós e dos Idosos” é “o primeiro fruto do ‘Ano da Família Amoris laetitia´, um dom a toda a Igreja que se vai manter ao longo dos anos”, afirma o Cardeal Farrell. 
 

Em comunicado, o prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida afirmou que “a pastoral dos idosos é uma prioridade inadiável para todas as comunidades cristãs. Na encíclica Fratelli tutti, o Santo Padre nos lembra que ninguém é salvo sozinho. Nesta perspetiva, é necessário valorizar a riqueza espiritual e humana que foi passada de geração em geração”.

Por ocasião da I Jornada Mundial dos Avós e dos Idosos, o Papa vai presidir à Missa vespertina do domingo, 25 de julho, na Basílica de São Pedro.

A nota evoca o I Congresso Internacional para a Pastoral dos Idosos, que o Papa encerrou a 31 de janeiro de 2020, na presença de delegações de dezenas de países, incluindo Portugal.

“A desorientação social e, em muitos aspetos, a indiferença e a rejeição que as nossas sociedades manifestam em relação aos idosos chamam não apenas a Igreja, mas todos, a uma reflexão séria para aprender a compreender e apreciar o valor da velhice”, referiu Francisco.

O discurso convidou a superar uma visão economicista, assumindo o património de “valores e significados” da “terceira e quarta idade”.

ISCF/Agência Ecclesia

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Papa denúncia solidão e abandono dos idosos

“Muitas vezes me sucedeu, como bispo de Buenos Aires, ir visitar lares de terceira idade, dando-me conta de como raramente recebiam visitas aquelas pessoas: algumas, há muitos meses, não viam os seus familiares”. Papa denúncia a solidão e o abandono dos mais velhos na mensagem para o IV Dia Mundial dos Avós e Idosos.

Ler Mais >>

Não te abandonarei!

No próximo dia 28 de julho assinala-se o IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos. Na mensagem para este dia, o Papa Francisco denuncia a solidão e o abandono dos mais velhos. Juan Ambrosio pega na mensagem do Papa para nos lembrar que avós e idosos “não são só o passado, são também o presente que nos pode dar a garantia de um futuro mais humano”.

Ler Mais >>

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>