22 anos de CAF – Coimbra. Um serviço “profético” , afirma D. Virgílio Antunes

Alargar equipa de voluntários, chegar a mais pessoas através das plataformas digitais ou pensar a possibilidade de um CAF Jovem são alguns dos desafios para o futuro.

O CAF – Centro de Aconselhamento Familiar de Coimbra completou, a 31 de janeiro,  22 anos de existência.  O CAF, é um serviço afeto ao Secretariado da Pastoral da Família da Diocese (SDPF) de Coimbra, em colaboração com o Instituto Secular das Cooperadoras da Família.

Os 22 anos de vida foram o mote para um encontro online que reuniu membros do SDPF de Coimbra, a Cooperadora Emília Cardoso – no CAF desde a primeira hora –  e voluntários. 

Presente esteve também o Pe. Nuno Santos, assistente do SDPF e do CAF, e D. Virgílio Antunes que considerou este serviço de apoio às famílias “profético”. “Este serviço foi uma resposta que surgiu antes do Sínodo dos Bispos sobre a Família e da Exortação Apostólica  Amoris Leatitia, mas surgiu como uma inspiração dentro da Igreja”, afirmou o bispo de Coimbra. 

“Foi uma das maiores novidades quando cheguei a Coimbra, quase há 10 anos,  foi a  existência do CAF e do seu trabalho”, afirmou D. Virgílio Antunes.

O bispo de Coimbra considera que todos reconhecem o valor da família na sociedade mas  “ficamos muitas vezes por estas considerações genéricas  e não passamos ao concreto da preocupação e da ação junto das pessoas que fazem parte das famílias”. 

Um trabalho que o CAF desenvolve há 22 anos graças a uma equipa de voluntários composta por assistentes sociais, juristas, psicólogos, médicos (um deles psiquiatra), gestor financeiro, sacerdote – e uma coordenadora geral que atende e faz a triagem – atendendo as famílias (casais e filhos) em dificuldade.

Muitos dos voluntários estiveram presentes no encontro online e foram convidados a partilhar o seu trabalho e desafiados a projetar o futuro do CAF. 


Alargar a equipa de voluntários, chegar a mais pessoas através das plataformas digitais, estruturar uma comunicação deste serviço, pensar na possibilidade de um CAF Jovem ou multiplicar o CAF por outros locais da diocese foram algumas das pistas apontadas que agora serão analisadas em próximos encontros. 

Num ponto todos os participantes estiveram de acordo. No papel fundamental da Cooperadora Emília Cardoso no atendimento permanente e quase 24h/24h  na triagem e direcionamento dos casos que chegam ao CAF.

Em 22 anos de existência o CAF já apoio 5018 casos e realizou 6911 atendimento (um caso envolve, muitas vezes, mais que um atendimento). Em 2020 o CAF apoiou 69 casos e realizou 153 atendimentos.

IM

 CAF – Coimbra 

O CAF – Coimbra é um  serviço afeto ao Secretariado da Pastoral da Família da Diocese de Coimbra, em colaboração com o Instituto Secular das Cooperadoras da Família.
 

Este centro foi criado em 31 de janeiro de 1999 e é constituído por uma equipa de especialistas voluntários – assistentes sociais, juristas, psicólogos, médicos (um deles psiquiatra), gestor financeiro, sacerdote – e uma coordenadora geral que atende e faz a triagem – atendendo as famílias (casais e filhos) em dificuldade.
 

Esta equipa procura aconselhar as pessoas, ajudando-as a encontrar respostas ou encaminhando-as, consoante as diferentes necessidades e problemas que apresentam.
 

É um serviço confidencial e gratuito que tem por objetivo esclarecer dúvidas e ajudar a resolver problemas relacionais, conjugais, conflitos entre pais/filhos, orientar sobre o amor, sobre o namoro, sobre o casamento, sobre a vida, traduzindo-se num espaço de aconselhamento.
 

Os contactos são feitos pessoalmente ou pelo telefone, a qualquer hora do dia ou da noite. Depois do atendimento, e havendo justificação, os casos são encaminhados para os técnicos. Um caso por vezes envolve a participação de vários técnicos e, normalmente, implica mais do que um atendimento

Contactos:
CAF – Centro de Aconselhamento Familiar
Rua Gil Vicente, 2
3000-202 Coimbra
Telem.: 969 881 159
Email: cafcoimbra@sapo.pt

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Silêncio, por favor!

Os “ruídos de um mundo anónimo” são o tema de reflexão de Ana Medina sobre a quantidade de informação que nos chega sem que a “tenhamos pedido”.

Ler Mais >>

Um novo ano político muito importante

Em 2024, mais de 60 países vão a votos, entre os quais Portugal. Murillo Missaci reflete sobre a necessidade de envolvimento dos jovens na política “de uma forma ativa, informada, crítica e responsável, tendo como referência a sua fé, a sua identidade e sua missão como cristãos”.

Ler Mais >>

Veneza, uma história entre ocidente e oriente

O pretexto para esta viagem foi o Carnaval, mas o encanto não se ficou pelas máscaras de Veneza. A icónica praça e Basílica de São Marcos captaram a atenção de Cristiano Cirillo que nos leva numa viagem pela história deste templo.

Ler Mais >>

Promover a leitura compete a todos nós

Saber ler não significa apenas juntar letras de forma a articular palavras. Ler implica, também, “interpretar” e “compreender”. O último relatório Pisa diz-nos que nestas questões Portugal baixou o seu nível. O mote para a reflexão da professora Goretti Valente.

Ler Mais >>