Focagens e ausências!

O Jornal da Família está quase a chegar a casa dos assinantes. Damos-lhe a conhecer o editorial da edição do mês de março.

Entre nós os grandes temas da atualidade em relação ao pós-confinamento, giram à volta da retoma da economia, a nível nacional e mundial; a gestão e a aplicação dos fundos da bazuca, a contração da natalidade, as questões ecológicas e ambientais; a capitalização e revitalização das empresas; a igualdade no acesso à tecnologia, a retoma do ensino, o desenvolvimento do interior, a retoma do comércio e o turismo, etc.

Onde está a família e a educação, que são a base da construção de uma sociedade, na preocupação destes grandes debates? É pela educação da vontade e do desejo que se desperta para o sentido da dignidade pessoal, a honestidade, o respeito pela vida e o cuidado do bem comum. O cuidado com a natureza e o desenvolvimento de uma cidadania corresponsável e participativa. Estas aprendizagens não se fazem na escola, bebem-se desde logo no ventre materno e no seio de um clima familiar, que saiba aliar e dosear: inteligência e coração; afeto, emoção, ternura e autoestima; a exigência de saber balizar o bem e o mal. Educar nestes valores é ser contracorrente à cultura do descarte e da indiferença. 

Assegurar que nada falte às crianças a nível material e de bem-estar é muitas vezes o que mais preocupa, mas a maior riqueza que se lhe pode oferecer, para um crescimento saudável e harmonioso, é uma educação integral digna, como defendeu o Pe Brás em 1961, dirigindo-se aos pais: “Pais católicos, vós sois os responsáveis, diante do Mundo e de Deus, pelo futuro temporal e eterno dos vossos filhos. Se não lhes puderdes deixar nem oiro nem prata, mas lhe derdes uma educação completa, legais-lhe a maior de todas as riquezas». A família e a educação, pela importância que revestem, devem ser implicadas nas grandes questões socioeconómicas para que é necessário valorização, apoio, formação e estímulos, mediante políticas adequadas. 

Vieira Maria
Editorial da edição de março do Jornal da Família

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Cultura do descarte

“A cultura do descarte é uma das mais significativas sequelas do vírus do narcisismo”, escreve Furtado Fernandes num artigo que reflete sobre o provisório e o efémero que caracterizam a atualidade.

Ler Mais >>

Em Roma, uma Igreja que fala português

Uma eucaristia em Roma para fazer memória das virtudes heroicas do Pe. Alves Brás deu o mote à rubrica mensal de Cristiano Cirillo pela beleza da espiritualidade em viagem. Por entre a vida e Obra do Fundador da Família Blasiana, ficamos a conhecer a Igreja de Santo António dos Portugueses em Roma.

Ler Mais >>

Padre Joaquim Alves Brás celebrado em Roma

Com os olhos postos no centenário da sua ordenação sacerdotal, o Pe. Alves Brás foi celebrado em Roma por ocasião das datas do seu nascimento e morte. A Igreja de Santo António dos Portugueses acolheu a celebração eucarística e Murillo Missaci conta-nos os pormenores.

Ler Mais >>

Celebrar e fazer acontecer o novo e a novidade

Num tempo de interpelações e desafios constantes “não nos podemos esquecer deste recomeço, desta novidade e deste novo que cada Páscoa nos lembra e volta a fazer acontecer”, diz-nos Juan Ambrosio na sua crónica mensal para o Jornal da Família.

Ler Mais >>