“Sou Cooperadora da Família” com Rosa Magalhães

É no seio das crianças e das suas famílias que Rosa Magalhães dá rosto ao carisma do Pe. Brás. 60 anos de vida que já levam 36 anos de consagração no ISCF.

Sou Rosa Magalhães, tenho 60 anos, e sou natural de Celorico de Basto, Diocese de Braga.
Sou Cooperadora da Família há 36 anos.

O desejo de fazer o bem às pessoas foi despertado muito cedo pela minha família, pela caminhada de fé e pelos valores cristãos que sempre pautaram os meus pais. Mas nunca tinha pensado em ser consagrada.

Este desejo profundo de responder ao chamamento de Deus na entrega da minha vida ao Senhor, no Instituto Secular das Cooperadoras da Família (ISCF), partiu de um encontro profundo com Jesus através de um retiro de jovens no qual participei, na casa de Santa Zita de Guimarães. A minha vocação surgiu a partir deste retiro, e foi precisamente a partir de um cântico que senti o toque de Deus que me estava a convidar para Lhe entregar a minha vida.

Depois de algumas interrogações se era este, de facto, o caminho que Ele tinha para mim, e com a ajuda de sacerdotes e Cooperadoras, decidi entregar a minha vida a Jesus como consagrada secular.

Hoje, animada pelo carisma do Fundador Venerável Padre Brás, sinto em cada dia a alegria deste chamamento e desta entrega que fiz há 36 anos. Sinto-me realizada e feliz a dar rosto ao carisma nas Obras do Padre Brás.

Neste momento estou inserida no grupo das Cooperadoras da Covilhã e tento dar rosto ao carisma do Fundador nas diversas tarefas do dia a dia, mais concretamente junto das crianças e das famílias. É um trabalho desafiante nos dias de hoje mas muito gratificante. O acolhimento que faço procura testemunhar a alegria de ser consagrada e enche o meu coração.

Confio na ajuda do Senhor que caminha comigo e me ajuda a ultrapassar as dificuldades que também vão aparecendo no dia a dia.

Queridos Jovens, vivam na esperança, não tenham medo de arriscar a vossa vida no caminho da consagração. Se Jesus vos chamar a uma vida de consagração não tenham medo de responder “Sim”. Confiem Nele, pois Ele é o único que preenche o nosso coração e está sempre ao nosso lado para nos dar força no caminho. Aceitem este convite com alegria. Eu também o aceitei e renovo-o em cada dia. Vale a pena arriscar a vida ao serviço da família.

Maria Rosa Bastos Magalhães

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

O dom da paz

Para alcançar a paz, Furtado Fernandes defende “um empenhamento persistente que se projete” a nível pessoal, a nível familiar e a nível dos direitos dos povos.

Ler Mais >>