Férias… tempo de relação

As férias estão aí e é preciso desligar das redes sociais e fortalecer as redes familiares. Há tanto para partilhar...

Queridos Pais, como nós,
as férias chegaram, já chegaram!
Eu e o meu marido criámos uma lista
de propósitos para as nossas férias.
Hoje vamos partilhar e discutir com os nossos filhos.
Não são regras. Não é um código.
É um exercício de intenção.
Do que queremos e, acima de tudo, do que não queremos.
Se ajudar,
partilhamos convosco:

  1. Cada um pode pedir um desejo (atividade, passeio, …) para as férias;
  2. Se o aborrecimento espreitar, vamos descobrir a calma;
  3. Usar (e abusar) das palavras boas: dizer e ouvir;
  4. Desligar das redes sociais e ligar às redes sociais da vida. Cada filho pode convidar um amigo. Vamos reunir a família.
  5. Vamos descobrir os sons da natureza;
  6. Lembrar e honrar os nossos “rituais” de sempre, por exemplo o passeio de bicicleta depois do pequeno-almoço;
  7. Nas brincadeiras e nos jogos tentar, sempre. Tentar até conseguirmos;
  8. Quando a pressa aparecer, vamos descobrir a tranquilidade;
  9. Ler. Um livro, companheiro de cada um;
  10. Não é permitido usar o telemóvel, por exemplo, na praia; é permitido usufruir do mar, da areia e de tantas brincadeiras e jogos;
  11. No fim do dia agradecemos e/ou fazemos as “pazes”.

Palavras a guardar:
Brincar. Explorar. Conversar. Escutar. Relacionar. Viver!

Voltamos a dizer: não, não são regras.
Não é um código. Não é um campo militar.
As férias são um tempo e um lugar de relação e de família.
Precisamos de colocar os “pontos nos i”,
caso contrário, os ingredientes do ano letivo repetem-se.
Não queremos. Não escolhemos. 

MA
Artigo da edição de julho de 2023 do Jornal da Família

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

A sabedoria que parte do coração humano

“Neste tempo que corre o risco de ser rico em técnica e pobre em humanidade, a nossa reflexão só pode partir do coração humano”. É com este pressuposto que Francisco alerta para as potencialidades e perigos da comunicação num mundo cada vez mais complexo da inteligência artificial.

Ler Mais >>

Construímo-nos na relação

Contruímo-nos na relação e a construção da identidade tem uma dimensão relacional e uma dimensão singular. Como cristãos somos chamados a viver a dimensão de Igreja mas também de cidadania e a esperança cristã deve ser testemunhada na vida de cada um mas também na relação com os outros. Ideias saídas do II Fórum Família.

Ler Mais >>

Vinde Espírito Santo!

No contexto do Mistério Pascal, Furtado Fernandes evoca a vinda do Espírito Santo para renovar mentalidades e comportamentos, num mundo dilacerado pelos horrores da guerra.

Ler Mais >>