Eleições para o Parlamento Europeu: Uma base para um futuro melhor

A importância dos valores cristãos para o futuro da europa, num período em que os cidadãos europeus são chamados a eleger os seus representantes no Parlamento Europeu.

As eleições para o Parlamento Europeu aproximam-se, e o novo Parlamento, composto por representantes de todos os Estados-membros, enfrentará grandes desafios e oportunidades para moldar uma Europa mais segura, sustentável e participativa. Por isso, é crucial considerar também os valores cristãos como parte fundamental do projeto europeu. Neste artigo, gostaria de explorar a importância desses valores e como eles podem moldar o futuro da Europa.

O Papa já afirmou que “os valores cristãos são o fundamento da identidade europeia”. De facto, o Cristianismo contribuiu para a compreensão europeia de liberdade, responsabilidade e ética, que permeiam as suas leis e estruturas sociais. Esses valores não devem ser negligenciados na política da UE. A Europa enfrenta crises económicas, migratórias, sanitárias e energéticas, além de conflitos devastadores. Esses desafios questionam os valores europeus, as suas instituições e os princípios democráticos. Infelizmente, os valores cristãos têm sido marginalizados em muitos contextos.

A democracia participativa é vital, mas muitos que se identificam com os valores cristãos sentem-se excluídos. Eles não conseguem expressar as suas posições de forma autónoma e distintiva. Além disso, não nos esqueçamos que referências aos valores cristãos nos textos da UE foram omitidas, ignorando a tradição cristã como uma importante fonte dos valores europeus.

Diante dessa realidade, instemos as instituições e partidos políticos a considerarem os valores cristãos partilhados por muitos cidadãos europeus. Esses valores podem garantir uma abordagem segura às mudanças e desafios que estamos a enfrentar. Votar em partidos antieuropeus e populistas, que podem ameaçar a democracia, não é coerente com essa visão.

É igualmente essencial que o Parlamento Europeu se empenhe mais na transição energética sustentável e na proteção ambiental, assim como na correta gestão dos fluxos migratórios, na condenação do uso da violência, e no estímulo à participação e engajamento de toda a população europeia, em especial a dos jovens. Em resumo, a Europa deve, sem dúvida, abraçar os seus valores cristãos como parte essencial da sua identidade para poder construir um futuro mais sólido, humano e inclusivo.

Murillo Missaci
missacimb@gmail.com
Artigo da edição de junho de 2024 do Jornal da Família

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Sinais de esperança, sinais proféticos

Não basta apelar à esperança, há que ser testemunha e agente dessa esperança. “O texto da Bula de Proclamação do Jubileu 2025 identifica alguns sinais de esperança que, neste momento, é urgente protagonizar”, afirma Juan Ambrosio que nos guia pelo itinerário traçado pelo Papa Francisco.

Ler Mais >>

A caminho de El Rocío

Cristiano Cirillo passou por terras da Andaluzia e não podia deixar de peregrinar à Romaria da Virgem de El Rocío. Um olhar atento à história, à devoção mariana que ali se vive e a toda a festa que envolve a peregrinação.

Ler Mais >>

Dia dos Irmãos

“Se não formos fraternos, não somos humanos”, escreve a Comissão Episcopal do Laicado e Família na mensagem para o Dia dos Irmãos que se celebra a 31 de maio.

Ler Mais >>

A sabedoria que parte do coração humano

“Neste tempo que corre o risco de ser rico em técnica e pobre em humanidade, a nossa reflexão só pode partir do coração humano”. É com este pressuposto que Francisco alerta para as potencialidades e perigos da comunicação num mundo cada vez mais complexo da inteligência artificial.

Ler Mais >>