Quando o correio chega ao Lar

Quando o correio chega ao Lar
Em tempo de pandemia e sem possibilidade de visitas, a equipa de animação cultural do Lar Betânia reinventou-se e os afetos chegaram por carta.

No Lar Betânia, em Fátima, o tempo natalício foi vivido na expetativa da chegada do correio.  A pandemia impediu que as familiares pudessem visitar os seus ente queridos na instituição mas os abraços, os beijos e muitos mais afetos chegaram por carta. 

Ainda antes da chegada do Advento, a equipa de animação cultural pediu às famílias que escrevessem uma carta dirigida ao seu familiar e outra dirigida aos colaboradores do Lar. 

No átrio da instituição foi montado um posto de receção de correio em jeito de “Calendário do Advento”.  “Todos os dias os utentes iam ao correio e verificavam se tinham alguma carta em nome deles”, conta Elisa Eusébio, a animadora cultura promotora da ideia. 

Ao longo do Advento todos os utentes receberam notícias da família. As cartas recebidas por email, e depois devidamente impressas e decoradas pela equipa de animação cultural, seguiam depois para o quarto de cada utente onde ficaram expostas em lugar bem visível “para que cada um as pudesse sempre ver e sentir um aconchego no coração”, refere Elisa Eusébio.

    

Todos os utentes receberam carta “mesmo aqueles cuja família não colaborou ou sem rede familiar”, conta Elisa. “Foram as próprias funcionárias do Lar que escreveram essas cartas e quando esses utentes as receberam ficaram de coração preenchido”, acrescenta.

Quanto às cartas enviadas para os colaboradores do Lar, foram colocadas num mural para que todos as pudessem ler. “ A ideia foi, apesar das circunstâncias difíceis que atravessamos, os utentes sentirem o aconchego dos familiares e os funcionários sentirem a recompensa pelo seu trabalho”, explica a Animadora Elisa. 

                                 

Esta iniciava teve o seu ponto alto no Dia da Festa da Sagrada Família (27 de dezembro) em que utentes e colaboradores se reuniram numa pequena festa “em que foi feito um vídeo a resumir as palavras essenciais que foram ditas pelos familiares e dirigidas às funcionárias”. 

Aqui fica o resumo:

O dia começa cedo, vestem a farda e carregam aos ombros uma missão! Num turbilhão de coisas para fazer colocam a vontade e a boa disposição por cada espaço da instituição. O rosto da instituição são vocês, porque partilham a missão, são o instrumento que toca a “música” - e que dá o som harmonioso ao lar Betânia. 

Correm os corredores de carro atrás, entram e saem de várias divisões. Num tic-tac constante, lidam com vidas, com pessoas, com sentimentos. Tratam de quem já viveu o seu tempo em independência, de quem já criou filhos, de quem transmitiu e viveu a fé. Levam na execução do seu trabalho, amor, alegria e cuidado. Umas têm fardas brancas, outras azuis e outras rosas! Não importa a cor da farda, mas importa mencionar que todas fazem parte de uma missão de valor! Porque quando cuidamos de pessoas, lidamos com o melhor do mundo, a VIDA!

Os alunos do  Colégio de São Miguel, em Fátima, também quiseram trazer mais Natal aos utentes do Lar Betânia. No dia 24 de dezembro, todos os utentes receberam um postal elaborado por alunos desta instituição de ensino. 

     

Esta dinâmica inseriu-se no projeto solidário "Postais de Natal", em que os alunos do ensino básico, do curso de Ação Social e do curso de Artes do 11.º ano , sensibilizados com as consequências que a pandemia trouxe às pessoas mais velhas, pretenderam levar alegria e conforto ao coração dos idosos. 

IM

Quarta, 6 de Janeiro de 2021