Fosses tu uma brasa...

Fosses tu uma brasa...

Fosses tu uma brasa para atear e aquecer todas as almas no fogo do amor de Deus[1]!
 

Era esse o desejo que movia o coração do padre Joaquim Alves Brás. É essa a chama queainda hoje permanece acesa nas mãos das Cooperadoras da Família, abrasada no idealde Família à luz da Sagrada Família de Nazaré.

Fosses tu uma brasa…

Entra dentro de ti. Procura o calor que te faz viver. Vê se o fogo tem chamas até ao lugarmais fundo do teu coração. Pergunta-te na hora mais calada da noite: e eu? Poderei vir a serbrasa? Escava em ti mesma em busca de uma resposta profunda. E, se esta soarafirmativamente, se tiveres de enfrentar esta questão séria com um forte mas simples‘Sim!’ então constrói a tua vida em função desse apelo. A tua vida terá deser um sinal e um testemunho desse impulso até nas horas mais frias; a tua vida terá deser uma brasa que irradia calor; a tua vida terá de ser uma chama que ilumina as trevas.No coração do mundo, a família espera que aqueças o seu lar com esse Amor que te ardeno peito.

Entra em ti. Perscruta Deus no teu coração. Vê se a lenha está pronta a arder. No fogo dela encontrarás a resposta àpergunta sobre se és ou não chamada a ser brasa. Aceita-a como ela te soar, sem te pores comgrandes preparações. Talvez tenhas a prova de que foste chamada a doares-tetotalmente, a arder para incendiares o mundo, à semelhança de Jesus[2]. Então aceita oprojeto que Deus tem para ti e assume-o na sua grandeza, pois nunca será bastante oincêndio[3].

Fosses tu uma brasa…

 

[1]ArqJBrás; Livro de Testemunhos; 1966-1968 pp.14v-15v

[2]cf. Lc 12, 49

[3]FARIA, Daniel; Poesia; Assírio & Alvim; p. 229

Sexta, 8 de Outubro de 2021