Caminhada junta cerca de 40 famílias sob o desígnio da vida e do cuidado da “casa comum”

Caminhada junta cerca de 40 famílias sob o desígnio da vida e do cuidado da “casa comum”
A Obra de Santa Zita da Covilhã realizou a 4ª Caminhada da Família. Este ano a festa contou também com um almoço convívio e com a música e dança dos mais pequenos.

A aldeia de Ferro, nos arredores da Covilhã, foi o ponto de partida e de chegada da Caminhada da Família da Creche e Pré-Escolar  da Obra de Santa Zita (OSZ) desta cidade, a cargo das Cooperadoras da Família. A andar pelo próprio pé, de carrinho de bebé ou às cavalitas dos pais todos percorreram três quilómetros por entre uma natureza exuberante pautada pelas cerejeiras, que começam a estar salpicadas de vermelho, pelas  maias amarelas e pelas vistas deslumbrantes sobre a encosta da Serra da Estrela. 

Joana Carapito é Educadora de Infância na Obra de Santa Zita e é também a Coordenadora Pedagógica. É com orgulho que fala desta iniciativa “que quer ligar a família à escola” e que já vai na 4ª edição.  Mas é muito mais do que isso. É um momento de convívio entre pais, entre crianças e é também um momento educativo. “Tentamos sempre realizar um peddy paper, subordinado a um tema diferente, em cada ano”, explica Joana Carapito. Este ano decorreu sob o tema do “cuidar da vida” e o “cuidar da casa comum” partindo de textos da Encíclica “Laudato Sì” do Papa Francisco.

A questão da edução ambiental é um tema que deve trespassar a escolar e a família e que deve começar desde muito cedo. Para a mãe Sónia Mendes é importante transmitir aos filhos “o cuidado a ter com a natureza”. Um cuidado que afirma já acontecer em casa  “com a reciclagem,  com o poupar de água ou com o não colocar o óleo de cozinha pelo ralo mas sim nos depósitos que existem para o efeito”. Depois da caminhada, pais e crianças seguiram para o almoço/convívio que teve lugar no jardim público de Boidobra. Um espaço onde decorriam as Festas dos 25 anos de elevação desta localidade a Vila. “Foi uma mais-valia para as nossas festividades poder contar aqui com cerca de 40 famílias. Pareceu-nos uma iniciativa muito bonita”, explica Ilda Vaz, Secretária da Junta de Freguesia de Boidobra.

Por entre correrias, e um insuflável colocado no meio do jardim para delícia dos mais novos, o almoço decorreu em ambiente de partilha e convívio. “Esta iniciativa faz com que haja mais coesão entre famílias e entre famílias e a própria instituição. As crianças adoram”, explica a mãe Andreia Carriço. Para o pai Ângelo Correia o balanço do dia é francamente positivo. “Dá para os pais se conhecerem e para criar laços de envolvência”. Já o pai Paulo Gil destaca “a interação entre as crianças e entre os pais” e a oportunidade de “conhecer os pais das crianças que passam o dia todo com os nossos filhos”.

O ponto alto do dia estava marcado para depois de almoço com a atuação dos meninos da Creche e Pré-Escolar da OSZ no palco das festividades de Boidobra. “Este ano, para além da caminhada e do almoço, quisemos juntar mais papás à nossa incitava e fizemos também a Festa de Final de Ano”, explica Joana Carapito. Os meninos, divididos por idades, e ajudados pelas Professoras de Música e Dança do Conservatório de Música da Covilhã, subiram ao palco para cantar e dançar o que aprenderam ao longo do ano durante as aulas. “Os pais não têm muito a noção do que se passa na escola, mas os nossos dias são muito preenchidos, fazemos inúmeras atividades e acho que é importante demonstrar aos pais o que fazem os filhos quando estão na Creche e Pré-Escolar”, afirma a Coordenadora Pedagógica da OSZ.

Com ar de quem não esconde o orgulho das capacidades artísticas dos filhos, lá estavam os pais, de telemóvel na mão, prontos a fotografar e gravar os dotes artísticos dos filhos, para mais tarde recordar.

Domingo, 20 de Maio de 2018