Papa agradece a D. Manuel nota sobre a aplicação da “Amoris laetitia”

Papa agradece a D. Manuel nota sobre a aplicação da “Amoris laetitia”
Francisco sublinha a importância de os sacerdotes ajudarem os casais a “discernir e integrar as fragilidades” que existem em muitas famílias.

O Papa Francisco dirigiu uma carta ao Patriarca D. Manuel Clemente, agradecendo a nota que este mandou publicar em fevereiro deste ano sobre a aplicação prática da exortação apostólica “Amoris Laetitia”.

nota do Patriarca tem por objetivo orientar os sacerdotes no acompanhamento de casais em situação irregular, como acontece, por exemplo, com pessoas divorciadas que contraíram um segundo casamento, pelo civil.

O Papa escreve que “esta sua aprofundada reflexão encheu-me de alegria, porque reconheci nela o esforço do pastor e pai que, consciente do seu dever de acompanhar os fiéis, quis fazê-lo começando pelos seus presbíteros para poderem cumprir da melhor forma o ministério.”

“As situações da vida conjugal constituem, hoje, um dos campos onde tal acompanhamento é mais necessário e delicado. Por isso mesmo, quis chamar o Colégio Episcopal a um itinerário sinodal prolongado, que propiciasse – apesar das dificuldades inevitáveis – a maturação de orientações compartilhadas em benefício de todo o povo de Deus”, diz ainda o Papa.

Na carta, datada de 26 de junho, divulgada esta quinta-feira pelo Patriarcado, o Papa encoraja os católicos portugueses, em particular os bispos e os padres, a “prosseguirem, com sabedoria e paciência, no compromisso de acompanhar, discernir e integrar a fragilidade, que de variadas formas se manifesta nos cônjuges e nos seus vínculos. Um compromisso que, se por um lado requer de nós, pastores, não pouco esforço, por outro regenera-nos e santifica-nos”.

Na nota publicada em fevereiro, D. Manuel recordava os pontos principais do “Amoris Laetitia”, em que o Papa abre a porta a processos de discernimento para que alguns casais em situação irregular possam eventualmente aceder aos sacramentos.

Leia aqui a carta do Papa Francisco a D. Manuel Clemente.

Fonte: Rádio Renascença

Quinta, 12 de Julho de 2018