“Cada idoso é teu avô” pretende abraçar os mais velhos

“Cada idoso é teu avô” pretende abraçar os mais velhos
Campanha do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida quer combater a solidão dos idosos.

Pretende ser “um gesto de ternura para com os idosos que se sentem sozinhos”. O Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida lançou a campanha “Cada idoso é teu avô”. Uma iniciativa que acredita que “é possível vencer o isolamento dos idosos também respeitando rigorosamente as normas de saúde em matéria de Covid-19”.  

 

Para este organismo da Santa Sé, a atual pandemia “atingiu particularmente os idosos e debilitou os já fracos vínculos entre as gerações, mas respeitar o distanciamento não significa aceitar um destino de solidão e de abandono”.

 

Inspirada nas palavras do Papa Francisco, após o Angelus do Dia dos Avós (26 de julho),  a campanha “Cada idoso é teu avô” convida a “reunir os anciãos mais solitários” do bairro ou da paróquia e “enviar-lhes um abraço” como pediu o Papa. Poderá ser “por  meio de uma ligação telefónica, uma videochamada ou uma imagem”.  E quando a emergência sanitária o permitir, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida convida os jovens “a tornar o abraço ainda mais concreto, indo encontrar os idosos pessoalmente”. 

 

A iniciativa tem associada a hashtag #sendyourhug e os posts mais significativos vão ser divulgados nas contas de redes sociais deste organismo do Vaticano, @laityfamilylife.

O Dicastério da Santa Sé destaca  os testemunhos que chegam de várias comunidades católicas, que multiplicaram contactos telefónicos, via web, redes sociais – “até serenatas para os hóspedes das casas de repouso” – realizados por jovens, para impedir a solidão de muitas pessoas forçadas pela pandemia a permanecer em suas casas ou fechadas em nas estruturas residenciais.

 

No passado dia 26 de julho, o Papa assinalou o Dia dos Avós, na memória litúrgica de São Joaquim e Santa Ana, avós de Jesus, pedindo atenção especial aos mais velhos, particularmente atingidos pela pandemia:

 

No dia em que a Igreja recorda dos Santos Joaquim e Ana, os “avós” de Jesus, gostaria de convidar os jovens a fazer um gesto de ternura para com os idosos, sobretudo os mais solitários, nos lares e residências, aqueles que não veem seus entes queridos há tantos meses. 

Queridos jovens, cada um desses idosos é seu avô! Não os deixe sozinhos! Usem a fantasia do amor, façam chamadas telefónicas, vídeo-chamadas, enviem mensagens, escutem-os e, sempre que possível, em conformidade com as normas sanitárias, visitem-os também. Enviem-lhes um abraço. Eles são as vossas raízes. 

Uma árvore separada de suas raízes não cresce, não dá flores e frutos. É por isso que a união com as suas raízes é importante. O que a árvore floresceu vem daquilo que tem de enterrado, diz um poeta da minha pátria. É por isso que os convido a dar um grande aplauso aos nossos avós, a todos!

 

IM

Quarta, 29 de Julho de 2020