Celebrar e fazer acontecer o novo e a novidade

Num tempo de interpelações e desafios constantes “não nos podemos esquecer deste recomeço, desta novidade e deste novo que cada Páscoa nos lembra e volta a fazer acontecer”, diz-nos Juan Ambrosio na sua crónica mensal para o Jornal da Família.

O futuro, responsabilidade de todos

Como podemos ser protagonistas da construção de um país diferente? Juan Ambrosio dá-nos algumas pistas num artigo que junta dois acontecimentos improváveis à primeira vista: o exercício do voto e o tempo quaresmal.

Para que serve a fé?

“Para que serve a fé?”, pergunta Juan Ambrosio. O texto não dá respostas, mas convida a pensar e a refletir.

Com sobriedade e intensidade

Numa época com forte apelo ao consumismo, Juan Ambrosio evoca a ‘Laudato si’ para nos alertar para o sobriedade sem nunca perder o sentido cristão do Natal.

Se queres a paz, prepara-te para a paz

Perante um mundo que nos é apresentado com “horrorosas imagens da guerra”, Juan Ambrosio acredita que “o mundo e a existência” continuam a ser “sustentados pelo amor e pela bondade”. E a chave para a paz reside na educação.

Entre a rotina e a novidade

“Rotina e novidade” são os termos em torno dos quais gira o artigo de Juan Ambrosio na edição de outubro do Jornal da Família. Uma reflexão sobre a “rotina e a novidade” que trespassam a nossa vida mas também a vida da Igreja.

O pacto Global pela Família

O pacto Global pela Família quer colocar em diálogo a pastoral familiar e as universidades católicas de todo o mundo. Juan Ambrosio parte da mensagem do Papa Francisco para explicar a importância desta iniciativa.

A família, bem decisivo para a Igreja e para o mundo

Filiação, fraternidade, maternidade/paternidade e conjugalidade são para Juan Ambrosio os eixos a partir dos quais se edifica o humano e estão na base da realidade familiar. Mas são também os eixos a partir dos quais se devem edificar as sociedades humanas e as comunidades cristãs.

Juntos na Esperança

Instabilidade económica e social marcam o arranque do ano 2023 e o futuro é visto com apreensão. Uma radiografia cinzenta do mundo em que vivemos onde o teólogo Juan Ambrosio descortina sinais de esperança.