O trabalho de grupo no caminho da socialização

“A realização de tarefas em grupo, quer em casa, quer na escola, permitem uma formação contínua da capacidade de interligação com os outros ou com o meio que nos rodeia”, defende a professora Goretti Valente num artigo que aborda a importância do trabalho de grupo para a socialização.

O ser humano é por natureza um ser social, por isso, aprender a saber estar com os outros é muito importante e deve fazer parte da formação de cada um. A família e a escola são as duas instituições mais indicadas para a realização desta tarefa. O trabalho de grupo, em contexto escolar, sempre foi um pouco contestado pelos alunos, pelos mais diversos motivos, no entanto, sabemos por experiência do quotidiano, o quanto é importante saber trabalhar e viver uns com os outros. Apesar de não ser uma atividade da preferência dos alunos, continua a realizar-se porque dela se retiram grandes benefícios para a formação humana e cultural. Trabalhar em grupo ensina a socializar, a compreender o outro e a respeitar a opinião de cada um, uma preparação fundamental para a vida.

A realização de tarefas em grupo, quer em casa, quer na escola, permitem uma formação contínua da capacidade de interligação com os outros ou com o meio que nos rodeia. A expressão “Juntos somos mais fortes” não é apenas o título de uma canção, é uma verdade indiscutível. Opiniões diversificadas enriquecem o trabalho e permitem uma análise mais aprofundada de qualquer tema. Saber ouvir, selecionar, escolher, decidir, debater, conviver e organizar são outras aprendizagens complementares, muito pertinentes e enriquecedoras.

O trabalho de grupo é uma atividade positiva que permite um melhor desenvolvimento das aprendizagens e dos comportamentos em qualquer idade, no entanto, em idade escolar é importante e aconselhável. A orientação e acompanhamento desta tarefa por parte dos professores ou dos pais é importante e indispensável para a promoção do bem-estar do grupo e dos bons resultados que se pretendem obter.

Um caminho a considerar para a Socialização.

Uma forma para crescer melhor!

Goretti Valente
Artigo da edição de junho de 2024 do Jornal da Família

Partilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn
Relacionado

Outras Notícias

Papa denúncia solidão e abandono dos idosos

“Muitas vezes me sucedeu, como bispo de Buenos Aires, ir visitar lares de terceira idade, dando-me conta de como raramente recebiam visitas aquelas pessoas: algumas, há muitos meses, não viam os seus familiares”. Papa denúncia a solidão e o abandono dos mais velhos na mensagem para o IV Dia Mundial dos Avós e Idosos.

Ler Mais >>

Não te abandonarei!

No próximo dia 28 de julho assinala-se o IV Dia Mundial dos Avós e dos Idosos. Na mensagem para este dia, o Papa Francisco denuncia a solidão e o abandono dos mais velhos. Juan Ambrosio pega na mensagem do Papa para nos lembrar que avós e idosos “não são só o passado, são também o presente que nos pode dar a garantia de um futuro mais humano”.

Ler Mais >>

Casamento como ato de amor e coragem

Num tempo marcado pelo efémero e pelo descarte “é preciso tomar a cultura do cuidado em relação ao matrimónio”, afirma o Pe. Quirino Sapalo, autor do livro “Casamento-to Hoje – Um desperdício de tempo ou ato de coragem”.

Ler Mais >>

Dia Mundial da População

Neste mês, a convite da ONU, assinala-se o Dia Mundial da População. Somos mais, mas não estamos equitativamente distribuídos pelas várias regiões do globo. E qual o papel da Igreja no planeamento e desenvolvimento populacional mundial. Murillo Missaci reflete sobre o tema.

Ler Mais >>

Férias “pedagógicas”

Os meses de verão são, para muitas pessoas, sinónimo de férias em família. Para as crianças são um tempo mais descontraído depois das regras e disciplina do ano letivo. Mas cuidado… não se pode ceder a todas as “exigências” das crianças. Jorge Cotovio, avô de cinco netos, deixa algumas dicas para que as crianças não esqueçam as regras básicas de convivência em período de férias.

Ler Mais >>